sábado, janeiro 07, 2006

Brasileiro técnico da seleção norte-americana

A foto é acima é de quando Ricardo Azevedo, o Rochinha, jogador da seleção brasileira nos anos 70, foi assistente técnico na seleção olímpica norte-americana. Agora o pai de Tony e Cassie é o treinador dos Estados Unidos.

A entrevista é interessante antes de começar.

O pessoal do Water Polo Planet elogia o fato de Ricardo ter respondido todas as perguntas do site e coloca a sua escolha como um grande presente de natal.

Entre alguns pontos da entrevista, alguns lembram até a nossa realidade, por incrível que pareça. Seguem alguns dos temas:

- as novas regras beneficiarão seleções mais rápidas, mais preparadas e os jogos terão mais gols.
- é preciso treinar mais funamentos como o chute. Para isso os treinadores necessitam mais tempo para trabalhar seus atletas.
- é essencial um campeonato nacional mais forte que evite que os grandes jogadores tenham que migrar para países com ligas profissionais.
- Rochinha quer colocar a sua seleção entre as quatro melhores do mundo, e promete fazer isso desde que receba condições para tal tarefa.
- a popularização do esporte é vista como uma forma de atrair patrocinadores que invistam no Pólo Aquático.
- é importante uma comissão técnica com membros especializados em diferentes áreas, como o treinamento de goleiros e a preparação física.
- tem que se treinar mais e mais fundamentos, sobretudo na formação de novos jogadores.
- na Espanha há mil jogadores e eles já foram campeões mundiais. Rochinha questiona porque os Estados Unidos, com 30 mil, não tem a mesma medalha. Ele responde com mais perguntas: "por que depois da faculdade os jogadores param de jogar?", "por que tantos jogadores estão na mesma escola?", "por que num jogo entre colégios há mais de 4 mil pessoas na torcida e num universitário há 800?"
- resumindo, ele acha que os benefícios do Pólo Aquático não são bem divulgados.

Quem ler inglês, vale a pena conferir.

0 Comments:

Postar um comentário

Links to this post:

Criar um link

<< Home