segunda-feira, janeiro 16, 2006

"Temos um grande potencial humano para trabalhar"


O Pólo Aquático nordestino tem os seus heróis, caras que fazem milagre ao manter o esporte sempre vivo, por mais que às vezes ele pareça que vai morrer. Entre esses nomes estão Passarinho, Marcus Bolitreau, Zé Marcio, Thiago, Amaral, Gilson, Diego, André e muitos outros com quem ainda não tivemos contato. Nenhum desses eu conheço pessoalmente, apenas pela internet ou de ouvir falar pelos emails. Esse blog tem a pretensão de unir esse pessoal e aumentar esse exército. O espaço está aberto a todos. Sempre. Hoje a entrevista é com o Junior, técnico da equipe campeã dos Jogos Escolares 2006, o cara que está nos oferecendo uma oportunidade impagável: a primeira chance de um amistoso. Obrigado Junior e vamos desenvolver cada vez mais esse intercâmbio entre todas as equipes nordestinas.

Pólo Ceará - Há quanto tempo você é treinador? Como começou esse amor todo pelo Pólo Aquático?
Junior - Trabalho como treinador há 3 anos, antes apitava e brincava em uma academia uma pelada semanal, nada sério. Depois fui ser árbitro de Pólo, entei no Marista e convenci a todos a colocar Pólo na escola. Acreditei que só ia dar meninos, mas foi o contrário, muitas meninas se interressaram. Sempre gostei do Pólo, acho um esporte de muita plástica e jogadas emocionantes, ficava babando quando ia apitar os jogos e via jogadas maravilhosas.

Pólo Ceará - Suas atletas foram campeãs dos jogos estudantis do Rio Gande do
Norte. Há muitas adolescentes jogando Pólo aquático em Natal? A que se
deve esse sucesso?
Junior - Muitas, em média 30 atletas por escola que tem Pólo. Acredito que é um esporte empolgante. As meninas não querem mais nadar, estão saturadas da rotina e buscam no Pólo o diferente e empolgante. Temos em nossas escolas verdadeiras "brigas" com os técnicos de natação, pois as meninas não querem mais nadar.

Pólo Ceará- A Comunidade de Pólo Aquático do Rio Grande Norte no Orkut deve ser uma das maiores regionais sobre o esporte, com mais de 700 participantes. Como está a organização do Pólo Aquático em Natal?
Junior - Este trabalho começou com o professores Fabio e Flávio, que são amantes como nós desse esporte e trabalham há mais de 6 anos com o Pólo. Pelo tempo de formação do esporte temos muitos ex-atletas, mas não trabalhamos com clubes e sim com escolas, e nas escolas só trabalhamos com atletas até 18 anos. Depois de acabar o período escolar na maioria dos casos não tem mais vínculo com a instituição. Certo que agora os meninos estão organizando uma pelada semanal em um clube, mas não há nada de compromisso

Pólo Ceará - Você acha que com maior intercâmbio é possível o Pólo Aquático nordestino se desenvolver e revelar novos Zé Marcio e Léo Vergara?
Junior - Com certeza. Temos um grande potencial humano para trabalhar, só falta mais incentivo. Quando viajei para Pernambuco e Paraíba vimos os caras mandando muito bem. Aprendemos muito com eles e eles com a gente. Os meninos e as meninas ficam empolgados e querem sempre fazer o melhor. Trocamos situações de jogo e novas jogadas e falamos sobre regras, fora a amizade que se constroi.

Pólo Ceará - E especificamente sobre as meninas: estão surgindo bons talentos no
Nordeste.Quem são os atuais destaques, quais as promessas?
Junior - Temos em Natal a Vanessa que foi jogar no sul. Ela é muito boa, mas está parada. Temos também a Eveline, que está parada por falta de lugar para treinar de alto nivel. Em Pernambuco tem duas meninas boas. O Marcus Bolitreau já colocou meninas na seleção e está fazendo um novo trabalho praticamente só. Na Paraíba está começando um trabalho que já mostra uma força. Em Maceió o Gilson do Marista tem duas meninas na seleção. Isso tudo prova que qualidade nós temos, só faltam mais treinos e oportunidades.

Pólo Ceará - Deixe por favor um recado pras meninas de Fortaleza e pra todas as que assim como elas estão começando.
Junior - Tudo que começamos a fazer, precisamos está cientes que sempre o começo vai ser mais difícil. O importante é não desistir e encarar cada treino como uma forma prazeirosa de conquista, sempre um degrau maior. Nadar é chato mas é necessario, jogar todo treino é muito bom, mas o Pólo não é só feito de bola e sim de um treino rico em natação e técnica. Derrotas virão. Só para dar um exemplo, no ano em que comecei com minhas meninas, perdermos todos os jogos do ano, todos os campeonatos e o mais importante, que foi no final do ano, que é o jerns(Jogos Escolares do RN) que coloca certa de 20 mil atletas em várias modalidades, nós ganhamos invictos, superando todas as derrotas que sofremos durante o ano.
Parabéns a vocês pela iniciativa. Vamos nos encontrar nas piscinas do nordeste.

1 Comments:

Anonymous marcus boulitreau said...

parabéns pela entrevista amigo júnior , espero você na clínica em recife dia 26 de janeiro !!! um grande abraço !!!

18 janeiro, 2006  

Postar um comentário

Links to this post:

Criar um link

<< Home