quinta-feira, julho 19, 2007

Reflexão rápida

1 - Antes de tudo, toda força hoje às meninas da seleção brasileira!

2 - Nesse link da jogadora da Venezuela que saiu da água sangrando, a repórter, com total ignorância do tema que está tratando, em pleno Pan, diz que "como a gente sabe esse esporte é violento", e assim com uma pequena frase, aumenta um mito que só atrapalha o crescimento do Polo Aquático.

3) Não sei no Canadá, mas em Cuba e nos Estados Unidos o esporte não está fechado em clubes, está nas escolas e universidades. O caso de Cuba é ainda mais expressivo porque a ilha há muito perdeu os subsídios do bloco comunista e, mesmo sem grana,eles continuam dando chocolate na gente.

Repare no post sobre o Censo Informal que fiz no Orkut. A primeira maior comunidade em time ou regiões não é do Rio nem de São Paulo. Rio Grande do Norte, mesmo sem praticamente ter um time de adulto, é disparada a maior comunidade (na foto acima a garotada que veio para o Circuito ano passado). A razão é simples: lá se joga Polo Aquático nas escolas. Nos eventos intercolegiais o esporte é disputadíssimo.

Infelizmente nas universidades e clubes não há seqüência no trabalho, e o que é feito na base, melhor que em qualquer outra região no Brasil, vai por água abaixo. Há lições dentro de casa para criarmos um modelo nacional. Infelizmente, nesse caso, há necessidade de ações institucionais que vão além da boa-vontade ou voluntarismo dos abnegados Brasil afora que tentam manter vivo oPolo aquático nacional.

1 Comments:

Blogger Luís Fernando Reis said...

Excelente comentário Helcio

20 julho, 2007  

Postar um comentário

Links to this post:

Criar um link

<< Home