terça-feira, julho 31, 2007

De língua queimada

1 - Atrás de Mega na foto de Sátiro Sodré, Pará fez no Pan o que faz muito há 30 anos: agarrou demais.

Seguem dois links de matéria com ele:
http://pan.uol.com.br/pan/2007/modalidades/poloaquatico/brasileiros/para.jhtm e http://pan.uol.com.br/pan/2007/ultnot/2007/07/26/ult4688u61.jhtm

Grande sujeito tanto dentro quanto fora da água, o Pará merece todas as homenagens.Na Chapada a gente se encontra!

2 - Juliana, querida jogadora cearense que reside em Brasília, mandou um link legal pra quem está começando: http://pan.uol.com.br/pan/2007/modalidades/poloaquatico/index.jhtm.

Obrigado Ju!

3 - Durante o Pan meu amigo e ex-atleta Alexandre Cândido me enviou do nada dois emails emocionados. Vale a pena ler. Segue o primeiro:

De Língua Queimada

Fala aí Hélcio meu camarada, tudo certo com vc ??

Como foi bonito ver pela TV a arquibancada lotada no Julio Delamare nos jogos femininos e nos dois jogos do masculino, coisa de louco, famílias inteiras, fãs do pólo aquático, e o mais importante, pessoas que contagiadas pelo clima do evento foram lá prestigiar a seleção brasileira. Confesso a você que não estava levando fé, achei que o preço dos ingressos iria atrair apenas os que de fato conhecem o esporte, achei um absurdo para um esporte que precisa tanto de visibilidade, estarem cobrando entradas entre 10 e 30 reais, achei que isso afastaria das arquibancadas pais e filhos. Grande engano.

O primeiro dia de pólo aquático me trouxe de volta a sensação de que é possível mobilizar e difundir o esporte de forma menos restrita. Há muitos anos atrás eu escutei alguém falando (acho que foi o Cabral) sobre como o pólo aquático poderia ser melhor aproveitado em nosso
país por ser um esporte que trabalha com bola e com o gol, coisas que movem a paixão de muitos brasileiros e torna o esporte vibrante, mexendo com a emoção do torcedor. Ver a vibração da arquibancada, a energia dos jogadores a cada gol foi emocionante.

Como vc sabe, estou há muitos anos afastado de competições oficiais, andei perambulando com nossos companheiros pela segunda divisão ou divisão especial, jogando os campeonatos da revista e etc ... Mas nunca deixei de prestigiar campeonatos brasileiros ocorridos aqui no
Rio de Janeiro. Nas arquibancadas sempre as mesmas pessoas, jogadores de uma próxima partida, técnicos e ex-atletas como eu acompanhando os jogos. Nesse Pan eu achei que fosse ser a mesma coisa, até porque no pré mundial foi assim, e no Brasileiro 2006 também, mesmo com todos os jogadores espanhóis de passagem por aqui.

Acompanhando pelo Sportv o quarto dia de competições do feminino, me dei conta de que ainda não tinha visto muitos rostos conhecidos no meio de uma multidão que estava lotando a arquibancada do Julio Delamare. Comecei a pensar "ôpa !! alguma coisa aconteceu, tem mais
gente aí que não costuma freqüentar os jogos". Imediatamente me lembrei de uma conversa que eu tive com o Carlinhos há uns dois meses, onde comentei com ele o meu sentimento de achar um absurdo os preços praticados para tantas rodadas de jogos, durante a conversa
inclusive comentamos como seria bom para o esporte se a entrada fosse franca, ou um valor mais simbólico, ou uma promoção de pacote para tantos dias de jogos, ou pacote família para garotos com os pais, coisas desse tipo. Obviamente, falamos superficialmente, sem qualquer
aprofundamento de viabilidade técnica ou outros problemas que poderiam ocorrer com tais ações. Pra falar a verdade nem sei se isso aconteceu.

Lembro que eu também questionei se não seria possível montar stands dos clubes, com venda de camisas do esporte, com uma divulgação de onde praticar o esporte, ou, que a CBDA pudesse montar esse stand divulgando em nível nacional os locais para prática, horários e etc,
mas, todas essas sugestões foram dadas em um plano muito superficial, afinal, não vamos esquecer que apesar de todo apelo emocional pelo esporte, integração entre países e etc, esse evento também é um negócio, e eu não sei como funciona essa exploração do espaço "pan-americano".

Ontem após a estréia da seleção brasileira de volei masculina estava vendo o "Redação Sportv", uma entrevista com o Tande que estava elogiando a torcida que compareceu em uma segunda feira a noite ao Maracanãzinho para prestigiar a estréia da seleção. Essa declaração só me deixou mais esperançoso quanto ao nosso esporte, pois um Mracanãzinho lotado em uma segunda feira á noite para ver os sete vezes campeões da liga mundial, campeões olímpicos, bi campeões mundiais nos últimos 10 anos é compreensível, surpreendente é lotar uma arquibancada do Julio Delamare para ver um time que desde 1951 em jogos pan americanos conquistou 1 ouro, 4 pratas e 6 bronzes no masculino e dois bronzes no feminino em duas edições.

Independente de medalhas, conquistadas ou não, o fato de ter uma arquibancada lotada é muito bom sinal, pode ser o efeito pan americano em nossa cidade, pode ser interesse pelo esporte, pode ser que as pessoas tenham comprado ingressos para o pólo aquático porque os do volei se esgotaram, tudo bem, qualquer justificativa que seja fica aqui uma pergunta: e agora ?? Como todo esse espaço que nos foi dado pode ser revertido para escolinhas cheias ?

um abraço

Candido

0 Comments:

Postar um comentário

Links to this post:

Criar um link

<< Home