sábado, junho 16, 2007

Tribuna Livre - Thiago Davis

O Thiago, com a medalha acima (o outro é seu treinador Afrânio Bastos, doutor em Educação Física, com dissertação de mestrado sobre Polo Aquático) é um cara muito legal. Junto com o Zezinho e outros tenta tocar o Polo Aquático em Sergipe. Visto os problemas que existem no Rio e São Paulo, imagine o quanto é difícil. Mesmo assim eles têm conseguido vitórias enormes.

Como eu avisei antes, esse espaço é de fato aberto a qualquer pessoa que queira participar. Digo isso porque dentro de tudo o que tenho ouvido, embora exista unânime repúdio ao modelo administrativo (?) da CBDA em relação ao Polo Aquático, há um racha entre duas vertentes: se seria possível melhoria dentro da atual conjuntura ou se o caminho é se desvincular da natação. Para o Thiago, a melhoria deve ser dentro dos canais institucionais estabelecidos. Segue o texto com toda a categoria do nosso amigo advogado:

Proposta para o Pólo Aquático - II Semestre 2007
Os textos veiculados aqui no Blog mostrando a situação do pólo aquático são suficientes para se ter a exata medida da necessidade imperiosa de mudanças no quadro clínico do esporte.

Considerando que a CBDA é a entidade oficial do esporte não me parece crível pensar em mudanças a margem do modelo institucional. Reconheço que a indagação é imediata: como esperar mudanças via modelo atual se foi justamente esse modelo que insiste em enterrar o Pólo Aquático?? O novo não precisa ser inédito, basta que seja diferente.

Assim, na verdade, não é porque as mudanças tem que passar pelas federações que seja impossível implantar um novo modelo de gestão.
Em termos pragmáticos, o que acho que deve ser feito, nessa etapa inicial:
1. Levantamento dos centros da prática desportiva em todos estados (dado empírico)
2. Reunião entre os todos os dirigentes dos centros (entenda-se por dirigente no sentido literal da palavra: qualquer pessoa que esteja na direção: técnico, atleta, pai de atleta, etc) e a respectiva federação.
3. É conveniente que a federação nomeie um diretor de pólo aquático para tratar do assunto.
4. Na reunião devem ser definidas as seguintes questões: a) Realização de um Festival (Agosto/07) com o objetivo de reunir todos os praticantes da modalidade; b) Realização de uma Competição Sub-18 e outra Sub-13 (Outubro/07); c) Propor projetos no sentido de expandir o esporte.
5. Definida a organização estadual, no âmbito regional seria realizado um Torneio Interestadual (Novembro/07) com a pretensão de reunir os participantes dos estaduais.
6. Balanço do II Semestre 2007 e elaboração do calendário 2008 (Dezembro/07)

As propostas acima estão no plano ideal devendo ser naturalmente adaptadas para a particularidades de cada um. O mais importante é que o sistema seja feito pelo seus protagonistas, pelas pessoas que desejam mudar o quadro clínico do pólo aquático. O item 1 é um dado real e com base na realidade é que deve ser feita a construção para o desenvolvimento do pólo aquático. A reunião deve ser entendida como um fórum de discussão para se estabelecer metas, apresentar projetos, etc. Os torneios são peças indispensáveis para a prática competitiva. Como se vê, as federações são coadjuvantes do processo.

E onde entra a CBDA nisso tudo? Na definição dos seguintes pontos: a) o valor da filiação; b) formação de árbitros ; d) valor da inscrição da equipe nos campeonatos. Só isso? Não, também deve cumprir com o fornecimento de uma estrutura adequada. Esse último ponto é o X da questão, assim deve ser tratado como tal, por último. Nossos esforços tem que ser nas nossas esferas de possibilidades.

Abraços,
Thiago Davis
(Aracaju/Sergipe)

8 Comments:

Anonymous Sergio said...

Boa Thiago. Eu acho q a sua última frase resume tudo. Parabéns pela sobriedade.

abs

Sergio Moraes

16 junho, 2007  
Blogger Luiza Moraes said...

Hélcio, tem um novo blog na area.

www.garotasdowaterpolo.blogspot.com/

bjs

Luiza

16 junho, 2007  
Blogger Michel said...

Thiago,
Companheiro, meus parabéns por se unir ao time. Com você, temos mais uma cabeça pensante em prol do pólo aquático.
Thiago, mudanças imediatas são impossíveis no curto prazo, mas são possíveis num futuro bem próximo. O que não é possível é continuar seguindo uma Confederação de Natação que vem ano após ano, destinando a maioria da verba para um único esporte pelos últimos 50 anos, sendo que esse mesmo esporte só consegue resultados a cada 20 anos. Analisando cada um dos pontos que você apresentou, vou lhe passar a minha opinião e gostaria muito que você respondesse para iniciarmos um banco de idéias.
Suas idéia 1 é muito boa. Mas infelizmente as cabeças pensantes da CBN não acham isso importante, ou então já o teriam feito. Acho ainda que não o fizeram porque certamente iriam descobrir vários centros de treinamento de pólo aquático aos quais elas jamais deram o mínimo apoio e que mesmo assim ainda funcionam, e em alguns casos até deram atletas á seleção(Goiânia, Brasília e João Pessoa por exemplo).

2. Outra idéia muito boa, mas que vai esbarrar mais uma vez na figura do dirigente. Poucos dirigentes de pólo aquático são atuantes no nosso país, com honrosas exceções; infelizmente a maioria tenta ao máximo que pode atrapalhar. Acredito que você já saiba do Presidente da Federação do Ceará, que provavelmente estava sem dinheiro para comprar material de natação para a filha e um dia, resolveu extorquir os atletas de pólo(os quais começaram graças ao Hélcio e outros sem o mínimo apoio da FCN) com promessas de uma clínica de WP bancada pela CBN. Estão aguardando a tal clínica ate hoje e foram informados que caso pagassem novamente pela clínica eles a receberiam. Os atletas do Ceará estão nesse exato momento coletando o dinheiro para pagar pela clínica. O resultado é esperar para ver.

3. Outra idéia muito boa, mas o diretor deve ser escolhido pela comunidade do pólo aquático, não pelo presidente da federação.

4. Idéia muito boa, nada a acrescentar.

5. Idéia muito boa, nada a acrescentar.

6. Idéia muito boa, nada a acrescentar.

Thiago, nesse primeiro momento mesmo sem me conhecer, eu vou lhe pedir para que acredite em mim. Eu venho assistindo desde 1990 a CBN fazer o possível e impossível para prejudicar o WP. Mantendo coordenadores sem pulso e com função decorativa, a CBN vem conseguindo manter o WP em hibernação há 50 anos. Está mais do que na hora que se comece a mudar isso. Então vamos deixar a CBN e seus incompetentes contratados a peso de ouro de fora disso. A única coisa que pedimos aos que querem se unir a nós e que tenham idéias construtivas e o coração puro. E que também tenham como meta o crescimento e o bem-estar desse esporte que eu aprendi a amar pelos últimos 21 anos; outros já amam a quase 60 anos e que outros aprenderam a amar agora.

P.S. Dá uma lida na entrevista do Nicola Stamenic, tenho certeza que você vai gostar.

Um grande abraço e aguardo sua resposta,

Michel Vieira.

16 junho, 2007  
Blogger polobahia said...

Thiago,

Sou testemunho do bom trabalho que vcs tem feito ai em Sergipe. É isso aí, força!
Abraço

17 junho, 2007  
Blogger thiagodavis said...

Caro Michel,

Prazer em conhecê-lo, virtualmente. Espero que possamos nos encontrar na Chapada.

Vamos lá, dando continuidade ao debate, seguem demais ponderações:

O texto veiculado no blog foi fruto de uma troca de e-mails com Helcio. E, em um dado momento, afirmei ser postulado da física que dois corpos não ocupam o mesmo espaço ao mesmo tempo e, via de conseqüência, ao se retirar algo (CBDA) outro deve ser posto no lugar. Até agora, eu não consegui visualizar a proposta de "vocês" e, mais, como fazer essas mudanças. Assim, fica a sugestão de que sejam pontuadas essas propostas, porque descrição e passado não alteram o curso da História. Falo isso, porque se tomado como verdade que o WP esta hibernando a 50 anos, é melhor falar que nunca existiu Pólo Aquático no Brasil. O que estamos discutindo efetivamente é por que o WP não atinge/atingiu níveis mais altos de desenvolvimento. Posso dizer que a realidade do nordeste/norte/centro-oeste é radicalmente diferente da do eixo Rio-SP, mas o problema central é do Brasil como um todo: se as demais regiões precisam alcançar o volume do jogo praticado em Rio-SP, Rio-SP devem atingir o padrão mundial, ou ao menos, dos Estados Unidos, num futuro próximo.

É inegável que a posição de cada um é definida, em grande parte, de acordo com as experiências pessoais. E nessa perspectiva, a minha proposta foi direcionada para o nordeste/norte/centro-oeste até porque de certa forma isso já é praticado em Rio-SP. Rio-SP deve ter outra solução.

O meu texto foi no plano teórico, mas agora cabe descer para a experiência prática, e tomarei com referência, obviamente, o Pólo Aquático Sergipano.
Treinei pólo aquático em Sergipe de 1989/1995, nasci em 1980. No período que estive em São Paulo (até 2005) nada de pólo aquático na minha vida. No meu retorno para Aracaju em 2006, na ocasião, fui no único local que tinha pólo aquático no estado, Colégio Arquidiocesano, equipe treinada por Fernando Gaúcho. Dos jogos aos sábados, surgiu a iniciativa de realizar um Campeonato, a I Copa Caju de Pólo Aquático, procuramos o Presidente, e tivemos recepção total. Fui indicado e aceito pela FASE (Federação Aquática de Sergipe) para ser o diretor de Pólo Aquático. Com a realização campeonato, dois outros colégios tiveram equipe (Ideal e Graccho) e contamos com mais 03 (três) times adultos. Neste campeonato foram aproximadamente 90 atletas. Para o II Semestre 2006, levamos duas equipes daqui para Salvador, uma Juvenil e outra Adulta, todavia, não conseguimos realizar outro campeonato local. Por questões pessoais, pedi minha retirada do cargo de Diretor de Pólo Aquático, tendo sido nomeado Manoel Messias jr (Pipoka), que vem realizando um grande trabalho. No início de 2007, a FASE realizou um reunião onde foi estabelecido o calendário desse ano com o campeonato sergipano sendo realizado em 03 etapas, a I etapa foi a II Copa Caju realizada em Abril com novamente 06 equipes (80 atletas), dessa vez, 01 time colegial e 05 adultos, com o nível melhor em relação à primeira edição. No período de 07 a 10 de junho Aracaju sediou o Norte/Nordeste de Pólo Aquático (89) com a participação das equipes de Amazonas, Ceará, Rio Grande do Norte e Sergipe. E no último sábado (16/06/07), realizamos a Maratona Festiva de Pólo Aquático; com a inscrição de R$ 10,00; tivemos 27 atletas; divididos em 3 times de nove; com partidas com 02 tempo de 10 minutos; no sistema de rodízio simples; disputa da final com o remanejamento da última equipe; sem premiação; o valor arrecadado foi destinado a confraternização dos atletas. Estão todos ansiosos para a II etapa do campeonato sergipano a ser realizada em agosto.
Assim, eu considero Sergipe um exemplo de sucesso, pois a FASE, na pessoa do Presidente Márcio Porto, apóia o Pólo Aquático, até pelo envolvimento pessoal do presidente com o esporte (Márcio Porto estava na Maratona Festiva e disponibilizou o placar eletrônico).
Agora, o que tem que ser dito, é que Federação nenhuma ganhará dinheiro (pelo menos no futuro próximo) com pólo aquático, a natação será, por muito tempo, o carro chefe.
Assim, sabendo que não trará retorno financeiro, o que temos que oferecer é que também não dará trabalho, por isso a idéia de nomeação de diretor de pólo aquático, sendo irrelevante, se nomeado pela federação ou escolhido pela comunidade, o mais importante é que essa pessoa seja um canal entre a prática e a instituição.
Com efeito, reiterando os itens:
1. A CBDA não tem qualquer participação na identificação dos centros de práticas desportiva!! Esse é um dado da realidade.
Aqui em Sergipe, temos dois colégios, um particular, Arquidiocesano, e outro público, Dom Luciano, e temos a disponibilidade do parque aquático durante a semana e aos sábados para jogos. Assim, os atuais dirigentes do pólo aquático sergipano são: a) técnico do Colégio Arquidiocesano, b) técnico do D. Luciano; e c) os representantes das equipes que disputam o campeonato sergipano. A reunião realizada pela FASE no início desse ano foi aberta para todos.
2. A reunião entre os dirigentes deve ser realizada independente de qualquer coisa, exceto se não houver interesse. Se a Federação não tiver interesse em participar do processo, o fato deve ser levado a conhecimento da comunidade nacional do pólo aquático e procurar a integração na federação do estado vizinho (por exemplo).
3. Aqui em Sergipe, isso está solucionado, o diretor de pólo aquático merece créditos.
4. Item prejudicado, por ora.
5. Item prejudicado, por ora.
6. Item prejudicado, por ora.
Caro Michel, não quero fazer disso um banco de idéias, mas um centro de experiência.
Fica a sugestão de ser realizado o "Final de Semana do Pólo Aquático Brasileiro", uma data única em que seriam realizados todos os festivais estaduais.
Reitero, meus esforços estão dentro das minhas esferas de possibilidade.

PS. li a entrevista de Nicola Stamenic

18 junho, 2007  
Anonymous Alexandre de Paula/CE said...

Hélcio, uma dúvida ?
Não foi o presidente da Federação Sergipana, que nos apelidou de "Rebeldes Tomadores de Cerveja" por conta do nosso circuito ?

19 junho, 2007  
Anonymous Anônimo said...

Caro Thiago, visão muito lúcida a sua. Infelizmente aqueles na CBN, omando as decisões que norteiam o nosso esporte, pensam bastante diferente. Visualizar nossa proposta ainda não é possível porque por incrivel que pareça eu converso aqui e ali, todos tem opiniões muito parecidas a respeito do câncer que a CBN representa para o nosso esporte mas poucos até agora se levantaram e vestiram a camisa. E esse é um problema que precisa ser resolvido. Thiago, estou também envolvido em um outro projeto que é voltado diretamente para a expansão do WP no Nordeste. Caso ele seja bem sucedido, veremos uma explosão de escolas de WP não só no NE, mas Brasil afora como jamais aconteceu antes. No momento isso é o máximo que posso falar para não gerar expectativas exageradas. Quanto a Chapada, quero muito ir, mas no momento vejo poucas chances de que isso aconteça. Chances não faltarão para nos encontrarmos e gostaria de terminar dizendo uma coisa da qual alguns vão me chamar de visionário, outros de estúpido: A ascensão do WP brasileiro terá origem nos estados do Nordeste. É esperar para ver.
Abração,
Michel.

19 junho, 2007  
Blogger thiagodavis said...

Michel,

Acho que começamos a falar a mesma língua.
Precisamos resolver o nosso problema primeiro: O que queremos? Para, em seguida, estabelecer: Como devemos fazer?

Para mim, a nossa geração já foi (em termos de esporte olímpico), nosso compromisso é com as futuras gerações.

O qu eu quero? Eu quero que pessoas possam viver do pólo aquático. Que atletas possam se dedicar exclusivamente ao esporte e que técnicos tenham uma remuneração digna.

Acho que esse seria o estágio final, para alcançá-lo teríamos que obter sucesso em todos os nossos desejos atuais.

Abraços

Thiago Davis

21 junho, 2007  

Postar um comentário

Links to this post:

Criar um link

<< Home